Setembro 2022

Tudo o que precisa de saber sobre Astronomia

2022-09-01T14:36:08+00:00

A Astronomia é a ciência que estuda a origem e evolução do Universo. A definição parece simples, mas o Universo é um lugar vasto, recheado de corpos celestes fascinantes e fenómenos fantásticos. A Astronomia faz parte da história cultural e cientifica da humanidade, tendo por varias vezes revolucionado a nossa forma de pensar e ver o mundo. No passado, a astronomia foi usada por razões práticas, como medir o tempo ou navegar nos vastos oceanos. Hoje, os resultados do desenvolvimento científico e tecnológico da astronomia e áreas afins, têm vindo recorrentemente a transformar-se em aplicações essenciais para o nosso dia-a-dia: computadores, satélites de comunicação, GPS, painéis solares, internet sem fios e muitas outras aplicações tecnológicas. A astronomia, como qualquer ciência, avança fruto da acumulação de conhecimento. Por vezes, este avanço lento, mas robusto, é empurrado por descobertas e ideias revolucionarias como a teoria do Big Bang. O Big Bang, o [...]

Tudo o que precisa de saber sobre Astronomia2022-09-01T14:36:08+00:00

O céu de setembro de 2022

2022-09-02T12:48:43+00:00

O céu de setembro de 2022     O quarto crescente é o primeiro evento astronómico significativo deste mês, tendo lugar ao final da tarde do dia 3. Este astro apresentar-se-á junto a Antares, uma estrela supergigante (com 883 vezes o raio do Sol), cuja cor avermelhada (rivalizando com de Marte) e localização no céu dão-nos a sensação de tratar-se do coração da constelação do Escorpião. Na primeira segunda-feira deste mês celebrar-se-á o 45º aniversário do lançamento da sonda Voyager I. Para além desta sonda fazer parte da missão mais longeva da agência espacial norte-americana NASA, é o primeiro objeto criado pela humanidade a entrar no espaço interestelar. Na noite de dia 6 iremos encontrar o planeta Marte junto de Aldebarã, o olho da constelação do Touro. Nesta constelação existem dois aglomerados de estrelas que parecem moscas a enxamear um touro. As Hiades são um  aglomerado de estrelas situadas na [...]

O céu de setembro de 20222022-09-02T12:48:43+00:00

Agosto 2022

No nosso corpo há mais células microbianas do que humanas: tiremos proveito disso!

2022-08-31T13:04:59+00:00

O interesse pelos micróbios que habitam o corpo humano é tal, que muitos são os cientistas em todo o mundo que se dedicam ao seu estudo. Utilizando as mais modernas e sofisticadas técnicas que permitem decifrar a infindável diversidade de micróbios que nos habitam, estes cientistas fazem a prospecção de todos os locais onde, no corpo humano, residem micróbios. Exemplos destes locais são as vias respiratórias, a cavidade oral, os tractos gastrointestinal e urogenital ou a pele. O objectivo destes cientistas é o de compreender de que forma os micróbios podem condicionar o estado de saúde ou de doença dos seus hospedeiros. Regra geral, tais estudos envolvem grandes investimentos técnicos, científicos e financeiros. Contudo, espera-se um bom retorno, inclusivamente financeiro. Os investimentos em causa, implicam, não só, o estímulo ao desenvolvimento científico e à promoção do conhecimento dos microrganismos, mas, sobretudo, irão contribuir também para mais e melhor saúde nos [...]

No nosso corpo há mais células microbianas do que humanas: tiremos proveito disso!2022-08-31T13:04:59+00:00

Equipa interdisciplinar identifica em Portugal caso de anomalia cromossómica em indivíduo com mais de 1000 anos

2022-08-30T09:48:35+00:00

Uma equipa de investigação internacional, liderada pela Universidade de Coimbra (UC), identificou um dos casos mais antigos de Klinefelter, síndrome genética onde os homens possuem uma cópia extra do cromossoma X. Os indivíduos afetados podem vir a apresentar osteoporose, obesidade e ginecomastia, mas também estatura elevada e um elevado diâmetro da anca. O indivíduo em questão viveu há cerca de mil anos em Castro de Avelãs, Bragança, durante o período Medieval. A descoberta vai permitir perceber a incidência de Klinefelter em antepassados e abre a possibilidade de se estudar a frequência desta e outras síndromes genéticas no passado através da análise de fósseis humanos. O estudo “A 1000-year-old case of Klinefelter’s syndrome diagnosed by integrating morphology, osteology, and genetics”, agora publicado na prestigiada revista científica The Lancet, foi coordenado por João C. Teixeira, investigador português em genética humana afiliado da Universidade de Coimbra, atualmente a desempenhar funções na Universidade Nacional [...]

Equipa interdisciplinar identifica em Portugal caso de anomalia cromossómica em indivíduo com mais de 1000 anos2022-08-30T09:48:35+00:00

O “Power Point” do século XVII

2022-08-29T14:43:10+00:00

  Quando o leitor visitar o excelente Museu Nacional Machado de Castro, em Coimbra, sugiro que esteja atento a um azulejo particularmente enigmático. Nele verá representada uma figura com um esquema e umas letras como um “X” e um “Z”. Mas afinal o que significam? Para respondermos a esta pergunta temos de recuar ao século XVII. Essa época ficou marcada na história da ciência pelas observações de Galileu Galilei, as leis de Johannes Kepler e as notáveis publicações do gigante Isaac Newton das quais se destaca a obra “Princípios Matemáticos de Filosofia Natural”. Publicado em 1687 é um livro que marcou a ciência . Nele se explica com linguagem matemática leis universais do cosmos. Em Portugal os jesuítas foram os principais responsáveis pelo ensino e divulgação destes novos conceitos e instrumentos científicos, como o telescópio. Ainda que, reconheçamos, tenham existido algumas forças resistentes à mudança, muitos sacerdotes da Ordem fundada [...]

O “Power Point” do século XVII2022-08-29T14:43:10+00:00

Estudar o hidrogénio natural como de fonte energia alternativa

2022-08-26T08:58:14+00:00

A empresa portuguesa CONVERGE!, uma spin-off da Universidade de Évora, vai liderar um projeto internacional no domínio da prospeção e exploração do hidrogénio natural - o projeto HyAfrica. Será o primeiro projeto de investigação internacional sobre a prospeção e utilização de hidrogénio natural como uma nova fonte de energia. O projeto é cofinanciado pela União Europeia através da “Parceria Euro-Africana em Investigação e Inovação em Energias Renováveis (LEAP-RE). A CONVERGE! é uma PME com 5 anos de existência, sediada no Parque do Alentejo de Ciência e Tecnologia (PACT),  com atividade de I&D nos domínios da geoenergia  - geotermia, hidrogénio natural, armazenamento de energia e de CO2 em formações geológicas. Como reconhecimento pela sua abordagem inovadora naqueles domínios a CONVERGE! irá coordenar o projeto HyAfrica (Rumo a uma fonte de energia renovável de próxima geração – o hidrogénio natural como opção energética em África). Pode o hidrogénio natural ser usado para [...]

Estudar o hidrogénio natural como de fonte energia alternativa2022-08-26T08:58:14+00:00

O ar que os dinossauros respiravam

2022-08-24T14:09:47+00:00

Há 170 milhões de anos, no Jurássico médio, a região da Serra d’Aire, onde hoje se situa a importante (e em lamentável degradação) jazida com pegadas de dinossáurios da Pedreira do Galinha, era mar. Um mar recifal, azul celeste, muito pouco profundo (escassos metros), de águas mornas e transparentes, como o das Caraíbas, repleto de vida e cor, onde as praias alvejavam de areia fina e branca como a neve. A temperatura e a humidade do ar eram as das regiões tropicais dos dias de hoje, permitindo uma vegetação luxuriante nas florestas, ao longo dos rios e nos litorais alagadiços. Nestas florestas, os dinossáurios dominavam e fruíam do alimento necessário. No mar, os moluscos, os corais, as algas e muitos outros organismos absorviam o dióxido de carbono do ar e o cálcio dissolvidos na água, para, com eles, edificarem as suas conchas e carapaças de natureza calcária. Por exemplo, nos [...]

O ar que os dinossauros respiravam2022-08-24T14:09:47+00:00

Golfinhos sem fronteiras

2022-08-23T15:30:48+00:00

Vivem no mar, mas são mamíferos. Respiram ar atmosférico e amamentam as suas crias, mas estão completamente adaptados ao mar e dele dependem. São quase como os terrestres mas são marinhos, com substantivas diferenças dos seus parentes de terra firme. Uma dessas diferenças consiste no limite que o meio lhes impõe: nenhum! Ou seja, tanto baleias como golfinhos, não conhecem barreiras físicas e vivem num meio tridimensional. Neste mundo subaquático, os golfinhos adaptaram o seu estilo de vida em função do habitat, tendo algumas espécies características tão próprias que as suas populações se podem tornar residentes. É o caso dos golfinhos-roazes. Estes golfinhos procuram as suas presas, interagem, acasalam e descansam em locais que habitam durante todo ou parte do ano. Assim, ainda que não existam barreiras a delimitar o espaço de ocupação, os golfinhos residentes não se afastam para longe da sua área de residência (uma morada possível: Estuário [...]

Golfinhos sem fronteiras2022-08-23T15:30:48+00:00

Identificada região cerebral com potencial de alteração precoce na doença de Alzheimer

2022-08-23T08:35:51+00:00

Uma equipa multidisciplinar de cientistas da Universidade de Coimbra (UC) e do Centro Hospitalar e Universitário de Coimbra (CHUC), coordenada por Miguel Castelo-Branco (UC) e por Isabel Santana (CHUC), descobriu um hotspot triplo de patologia cerebral na doença de Alzheimer. A descoberta pode ter implicações muito relevantes em termos de terapias futuras, dado que identifica, com clareza, um alvo cerebral de alteração precoce, implicado na perda de memória, que pode ser estudado diretamente e de forma focada em novos ensaios terapêuticos. Miguel Castelo-Branco, investigador da Faculdade de Medicina e do Centro de Imagem Biomédica e Investigação Translacional do Instituto de Ciências Nucleares Aplicadas à Saúde da Universidade de Coimbra, revela que a descoberta abre caminho «para o desenvolvimento e teste de terapêuticas direcionadas à redução da neuroinflamação na doença de Alzheimer». A região cerebral identificada chama-se cíngulo posterior e demonstra, em fases muito iniciais da doença de Alzheimer, alterações tripartidas [...]

Identificada região cerebral com potencial de alteração precoce na doença de Alzheimer2022-08-23T08:35:51+00:00

Fronteiras

2022-08-22T11:22:45+00:00

A vida no planeta Terra só terá surgido quando se formou uma fronteira, constituída por uma membrana de natureza lipídica primordial, que separou, de forma mais ou menos permeável e selectiva, um espaço interior e o meio exterior envolvente. Passados talvez um pouco mais de 3,5 mil milhões de anos, a funcionalidade bioquímica dessa membrana, dessa fronteira que permite diálogos entre o interior celular e o espaço extracelular, continua a ser decisiva para a viabilidade da vida. É através dela que entram e saem substâncias, tanto nutrientes como a glicose, como “comunicadores” como as hormonas e neurotransmissores, por exemplo. Nas células do sistema nervoso, nos neurónios, é através da fronteira membranar dos seus axónios que os impulsos nervosos se propagam permitindo, por exemplo, o pensamento. É na fronteira que o sonho explora a existência! Num nível fisiológico seguinte encontram-se os órgãos. Estes são formados por tipos específicos de células, que [...]

Fronteiras2022-08-22T11:22:45+00:00
Go to Top