Junho 2022

Primeira observação directa de um efeito fundamental na física das partículas

2022-06-03T11:14:37+00:00

A colaboração ALICE do Large Hadron Collider (LHC) do CERN fez a primeira observação directa do efeito do cone morto, uma característica fundamental da teoria da força forte — que une quarks e gluões no interior dos protões e dos neutrões e, também os protões e neutrões no interior dos núcleos atómicos. Para além de confirmar este efeito, o resultado, publicado hoje na revista Nature [https://www.nature.com/articles/s41586-022-04572-w, abre a possibilidade de medir experimentalmente a mass de um quark antes de estar confinado dentro de hadrões (partículas constituídas por quarks). "Tem sido muito desafiante observar directamente o cone morto", afirmou Luciano Musa, porta-voz de ALICE. "Mas, utilizando dados de três anos de colisões protão-protão no LHC e técnicas sofisticadas de análise de dados, conseguimos finalmente revelá-lo". Quarks e gluões, colectivamente chamados partões, são produzidos em colisões de partículas como as que ocorrem no LHC. Em seguida, os partões formam aquilo a que [...]

Primeira observação directa de um efeito fundamental na física das partículas2022-06-03T11:14:37+00:00

Inteligência Artificial ajuda à identificação de objetos astronómicos

2022-06-02T13:12:19+00:00

A classificação de objetos astronómicos sempre foi um problema. A distâncias quase inimagináveis, por vezes torna-se difícil para os astrofísicos distinguir se estes objetos são estrelas, galáxias, quasares, supernovas ou nebulosas, por exemplo. Para tentar resolver este problema clássico, os investigadores do Instituto de Astrofísica e Ciências do Espaço (IA) Pedro Cunha e Andrew Humphrey criaram o SHEEP, um algoritmo de inteligência artificial (machine learning) que determina a natureza dos astros. Para Andrew Humphrey (IA & Universidade do Porto): “O problema de catalogar objetos astronómicos é muito desafiante, devido à sua quantidade e à complexidade do Universo, mas a inteligência artificial está a revelar-se uma ferramenta muito promissora para a resolução deste problema.” Para Pedro Cunha, aluno de doutoramento no IA e no Dep. de Física e Astronomia da Faculdade de Ciências da Universidade do Porto, o primeiro autor do artigo agora publicado na revista Astronomy & Astrophysics: “Este trabalho [...]

Inteligência Artificial ajuda à identificação de objetos astronómicos2022-06-02T13:12:19+00:00

Estudo internacional conclui que a ação humana afeta severamente rios e ribeiros à escala global

2022-06-01T12:37:39+00:00

Ações como a regularização das linhas de água, urbanização, agricultura ou descarga de águas residuais estão a afetar severamente os rios e ribeiros à escala global, conclui um estudo internacional no qual participou a Universidade de Coimbra (UC). Neste estudo, publicado na revista científica Global Change Biology, foram avaliados, pela primeira vez, os efeitos de  diferentes impactos humanos em várias funções dos rios e ribeiros (como capacidade de autodepuração, decomposição de matéria vegetal, produção de organismos aquáticos) à escala global com base em evidência científica publicada, visando compreender quais os impactos com efeitos mais fortes e quais as funções ecossistémicas mais sensíveis. Coordenado por Mario Brauns, do Department of River Ecology do Helmholtz Centre for Environmental Research-UFZ, na Alemanha, o projeto reuniu 10 investigadores peritos nas várias funções ecossistémicas consideradas, entre eles Verónica Ferreira, do Departamento de Ciências da Vida da Faculdade de Ciências e Tecnologia da Universidade de Coimbra [...]

Estudo internacional conclui que a ação humana afeta severamente rios e ribeiros à escala global2022-06-01T12:37:39+00:00

Maio 2022

O céu de junho de 2022

2022-05-31T12:01:09+00:00

Infelizmente, o céu deste mês será mais propício para os madrugadores. No início do mês, Saturno nasce por volta da 01h45, enquanto Júpiter e Marte, ainda muito juntinhos depois da recente conjunção, nascem por volta das 03h30. Mas estes dois planetas vão-se afastar rapidamente – se no dia 1 se encontram a apenas 1,5 graus um do outro (à distância de um braço estendido, o espaço que ocupa o dedo mindinho), no dia 30 já se encontram a quase 19 graus. Já no fim do mês, Saturno nasce por volta da meia-noite, Júpiter à 01h30 e Marte uma hora mais tarde. Já o planeta Vénus nasce por volta das 04h30 durante todo o mês. Estes quatro planetas continuam assim a desenhar uma enorme linha reta no céu, visível a partir das 04h30 e até ao amanhecer. Mas se no início do mês essa reta vai de Este para Sudeste, com [...]

O céu de junho de 20222022-05-31T12:01:09+00:00

Estudo da Universidade de Coimbra tenta ultrapassar o insucesso da imunoterapia no cancro da bexiga

2022-05-30T11:10:52+00:00

Uma equipa de investigadores da Faculdade de Medicina da Universidade de Coimbra (FMUC) está a estudar possíveis mecanismos de evasão imunitária que limitam o sucesso da imunoterapia no cancro da bexiga, lançando bases para o desenvolvimento de novos fármacos para combater este tipo de tumor que, em fase avançada, tem uma elevada taxa de mortalidade. Iniciado em 2019, este estudo, de carácter translacional e multidisciplinar, é realizado em parceria com o Centro Hospitalar e Universitário de Coimbra (CHUC), Centro Hospitalar de Leiria (CHL) e Hospital CUF de Coimbra e designa-se “Inibição da via da adenosina - uma nova abordagem para potenciar a imunoterapia no cancro da bexiga avançado”. Através de diversos mecanismos, o cancro da bexiga, mais comum nos homens, «consegue ludibriar e inibir a ação do sistema imunitário do nosso organismo, o que lhe permite crescer sem ser destruído pela ação das nossas células imunes (imunoevasão). O nosso projeto [...]

Estudo da Universidade de Coimbra tenta ultrapassar o insucesso da imunoterapia no cancro da bexiga2022-05-30T11:10:52+00:00

O envelhecimento afeta a dinâmica cerebral, mas nem todas as mudanças têm impacto no funcionamento cognitivo

2022-05-27T13:00:59+00:00

Um estudo da Universidade de Coimbra (UC), publicado na prestigiada revista eLife, revela que nem todas as mudanças produzidas no cérebro, em resultado do envelhecimento, alteram o desempenho cognitivo. O cérebro muda de forma significativa com o envelhecimento, mas, pelo menos, parte dessas alterações poderão não ser relevantes do ponto de vista do seu funcionamento. Conduzido por Maria Ribeiro e Miguel Castelo-Branco, investigadores do Centro de Imagem Biomédica e Investigação Translacional (CIBIT), ICNAS, e da Faculdade de Medicina da UC (FMUC), o estudo demonstra «que o cérebro mais velho apresenta uma dinâmica de atividade cerebral marcadamente diferente do cérebro jovem com uma diminuição das flutuações espontâneas de atividade neuronal, mas esta diferença não está associada a uma perda cognitiva». «O nosso cérebro nunca para. Mesmo quando estamos em repouso, a nossa atividade cerebral mostra grandes flutuações. Períodos de grande atividade cerebral são seguidos de períodos de atividade mais baixa, alternando [...]

O envelhecimento afeta a dinâmica cerebral, mas nem todas as mudanças têm impacto no funcionamento cognitivo2022-05-27T13:00:59+00:00

Cientistas da Universidade de Coimbra desenvolvem frigoríficos e arcas congeladoras de baixo custo para zonas sem acesso a eletricidade

2022-05-25T15:18:15+00:00

Uma equipa de investigadores da Universidade de Coimbra (UC) desenvolveu um conjunto de protótipos eficientes e de baixo custo para refrigeração – frigoríficos e arcas congeladoras – alimentados a energia solar (painéis fotovoltaicos), para zonas onde não existe acesso a eletricidade. Estes protótipos foram desenvolvidos ao longo dos últimos dois anos no âmbito do projeto “Energy-Efficient Off-Grid Refrigerators for Africa Rural Electrification”, liderado por investigadores do Instituto de Sistemas e Robótica (ISR) da UC e financiado pela Efficiency for Access Coalition (UK Aid, Governo do Reino Unido) e a IKEA Foundation, após ter sido selecionado num concurso internacional competitivo. A equipa está também a desenvolver um controlador inteligente que monitoriza e controla as temperaturas dentro dos equipamentos, bem como a velocidade variável do compressor e os fluxos energéticos consumidos pelo sistema e gerados pelos painéis solares, visando que a temperatura interna seja estável, de modo a consumir a menor quantidade [...]

Cientistas da Universidade de Coimbra desenvolvem frigoríficos e arcas congeladoras de baixo custo para zonas sem acesso a eletricidade2022-05-25T15:18:15+00:00

Crentes em pseudociência mostram-se mais propensos a tirar conclusões com base em menos evidência

2022-05-24T10:50:43+00:00

Dois estudos recentes mostram que crentes em pseudociências revelam uma maior tendência para extrair conclusões mais precipitadas a partir de menos quantidade de informação, sendo mais susceptíveis a inferir relações de causa-efeito sem evidência para tal.. Imagine que lhe mostram um saco, opaco, com bolas no interior. É-lhe dito que as bolas podem vir de um de dois frascos: O frasco A contém 60 bolas vermelhas e 40 bolas azuis; o frasco B contém 40 bolas vermelhas e 60 bolas azuis. A sua tarefa é indicar qual dos frascos, A ou B, foi despejado para o saco. Para tal poderá tirar uma bola de cada vez e verificar a sua cor – pode tirar tantas bolas quanto deseje e, quando julgar ter informação suficiente, indicar a sua resposta. Coloca a mão no saco, agarra numa bola e tira-a: a sua cor é azul. Neste momento poderá pensar que a evidência [...]

Crentes em pseudociência mostram-se mais propensos a tirar conclusões com base em menos evidência2022-05-24T10:50:43+00:00

Cientistas desenvolvem novo material substituto do plástico

2022-05-23T15:20:05+00:00

Uma equipa de investigadores liderada pela Universidade de Coimbra (UC) desenvolveu um substituto do plástico a partir de nanocelulose combinada com um mineral fibroso, totalmente biodegradável e biocompatível, com várias aplicações, por exemplo, em embalagens alimentares e impressões eletrónicas, abrindo portas à fabricação de plásticos mais sustentáveis. O novo material foi desenvolvido ao longo dos últimos três anos, em parceria com o Instituto Politécnico de Tomar (IPT) e a Universidade da Beira Interior (UBI), e com a colaboração da empresa espanhola TOLSA, no âmbito do projeto “FilCNF: Nova geração de filmes compósitos de nanofibrilas de celulose e partículas minerais como materiais de elevada resistência mecânica e propriedades de barreira a gases”, financiado, no valor de 190 mil euros, pela Fundação para a Ciência e a Tecnologia (FCT) e pelo Fundo Europeu de Desenvolvimento Regional (FEDER). Esta nova solução ecológica, que na prática se traduz numa nova classe de filmes compósitos, [...]

Cientistas desenvolvem novo material substituto do plástico2022-05-23T15:20:05+00:00

A ilustração científica como expressão visual da comunicação para a ciência

2022-05-21T09:15:59+00:00

A ilustração científica corresponde à componente visual da comunicação para a ciência. Essencialmente é constituída pela produção de imagens, desde a sua concepção à sua publicação, para comunicar ciência nas mais variadas áreas, como por exemplo a biologia, geologia, arqueologia e a medicina. Estas publicações podem ser livros de texto, manuais escolares, guias de campo, revistas de divulgação científica, materiais de divulgação de jardins, museus, entre muitas outras. A Ilustração científica como a compreendemos hoje em dia existe desde que os primeiros exploradores procuraram registar as suas descobertas. Vários tinham alma de artista e desenhavam os seus achados, ou delegavam a gravadores a tarefa de materializar as suas descrições. Na sua essência nasceu no Renascimento, com o objectivo de acompanhar os desenvolvimentos científicos, com artistas como Leonardo da Vinci e Albrecht Dürer. Nos séculos XVII e XVIII teve um grande desenvolvimento, com a corrida às classificações e descrições de novas [...]

A ilustração científica como expressão visual da comunicação para a ciência2022-05-21T09:15:59+00:00
Go to Top