Apimprensa Associação Portuguesa de Imprensa

About Apimprensa

Este autor ainda não preencheu nenhum detalhe.
So far Apimprensa has created 183 blog entries.

Novembro 2022

Equipa da Universidade de Coimbra desenvolve novos bioprocessos para reciclar resíduos de painéis fotovoltaicos

2022-11-16T13:20:39+00:00

De olhos postos no futuro, uma equipa de investigadores e alunos da Faculdade de Ciências e Tecnologia da Universidade de Coimbra (FCTUC) está a desenvolver um projeto que aposta na criação de um processo inovador para reciclar resíduos de painéis solares, que são altamente tóxicos para o meio ambiente, através da utilização de bactérias que os captam, permitindo a sua utilização em áreas como a Biomedicina e a Biotecnologia. Sendo Portugal um país que aposta na produção de energia solar gerada através de painéis fotovoltaicos, o “SUSTe - Development of SUStainable and integrative bioprocess for the recovery of TellurIum-based nanoparticles from photovoltaic wastes” foi pensado para resolver um problema ambiental que ainda não existe, mas que há de chegar: o que fazer com tantos painéis solares em fim de vida? A solução proposta pela equipa liderada por Jorge Pereira, investigador do Centro de Investigação em Engenharia dos Processos Químicos e [...]

Equipa da Universidade de Coimbra desenvolve novos bioprocessos para reciclar resíduos de painéis fotovoltaicos2022-11-16T13:20:39+00:00

ESO obtém a imagem de uma fábrica de estrelas

2022-11-15T18:23:14+00:00

Nos últimos 60 anos o Observatório Europeu do Sul (ESO) tem permitido aos cientistas de todo o mundo descobrir os segredos do Universo. Assinalamos este marco com uma nova imagem de uma fábrica de estrelas, a Nebulosa do Cone, obtida com o Very Large Telescope (VLT) do ESO. No dia 5 de Outubro de 1962, cinco países assinaram a convenção que criou o ESO. Agora, seis décadas mais tarde e apoiado por 16 Estados Membros e parceiros estratégicos, o ESO junta cientistas e engenheiros do mundo inteiro para desenvolver e operar observatórios terrestres de vanguarda, no Chile, que nos ajudam a fazer descobertas astronómicas revolucionárias. Por ocasião do 60º aniversário do ESO divulgamos esta nova imagem da Nebulosa do Cone, capturada no início deste ano com um dos telescópios do ESO e seleccionada pelo pessoal do ESO. Esta iniciativa insere-se numa campanha que marca o 60º aniversário do ESO e [...]

ESO obtém a imagem de uma fábrica de estrelas2022-11-15T18:23:14+00:00

Investigadora da Universidade de Coimbra distinguida com Prémio Maria de Sousa

2022-11-14T12:38:23+00:00

Daniela Rodrigues, investigadora do Centro de Investigação em Antropologia e Saúde da Faculdade de Ciências e Tecnologia da Universidade de Coimbra (FCTUC), é hoje distinguida com o Prémio Maria de Sousa, no valor de 30 mil euros, no âmbito do seu projeto UPSEE Health – Experiência sensorial dos espaços urbanos e o impacto na saúde. Segundo a investigadora, este projeto pretende «expandir a compreensão de como os jovens são expostos, experimentam e interagem com os lugares urbanos, e de como é que essa experiência se associa ao seu estilo de vida e à sua saúde». Para Daniela Rodrigues, ser uma das premiadas desta segunda edição do Prémio BIAL «significa não só um reconhecimento, por parte de colegas da área da Saúde, do trabalho que tenho desenvolvido nos últimos anos, nomeadamente sobre o papel do estilo de vida (ativo e sedentário) como determinante da obesidade infantil em Portugal, mas serve também [...]

Investigadora da Universidade de Coimbra distinguida com Prémio Maria de Sousa2022-11-14T12:38:23+00:00

Universidade do Minho ajuda a preservar monumento indígena dos EUA

2022-11-11T15:12:20+00:00

Uma equipa da Escola de Engenharia da Universidade do Minho (EEUM) aplicou uma mistura natural de pedra e terra para preservar parte do Monumento Nacional de Wupatki, um ícone da cultura nativa dos EUA. A aplicação é inovadora nos EUA e num caso de estudo desta importância, pois a maioria das aplicações do género é laboratorial. O trabalho insere-se num projeto de 1.3 milhões de dólares financiado pela Fundação Getty e pode vir a ser aplicado no futuro a outros patrimónios culturais e naturais em risco devido às alterações climáticas. A par dos monumentos vizinhos de Sunset Crater Volcano e Walnut Canyon, Wupatki destaca-se pela preservação das ruínas, pela importância ancestral e pela diversidade geográfica. Além da paisagem de rocha vermelha povoada por coelhos, coiotes e águias, o parque de 90 quilómetros quadrados no Arizona possui mais de 5000 sítios arqueológicos indígenas. O coração deles, Wupatki Pueblo, é um complexo [...]

Universidade do Minho ajuda a preservar monumento indígena dos EUA2022-11-11T15:12:20+00:00

ONU reconhece projeto da Universidade do Minho para a Década do Oceano

2022-11-10T18:38:11+00:00

Um projeto da Universidade do Minho (UMinho) que usa ADN para monitorizar recursos pesqueiros no Atlântico foi reconhecido pelas Nações Unidas como contributo para os desafios desta Década do Oceano. Chama-se “DNA-based approaches for fisheries monitoring”, é liderado por Filipe Costa e junta parceiros de três continentes. Este é um dos 287 projetos (actions) de todo o mundo agora endossados pela ONU, que desafia assim a ciência a reverter a degradação do ecossistema marinho e a alicerçar a Agenda 2030. “Este reconhecimento confirma a relevância de conceber projetos em parceria entre instituições académicas e governamentais responsáveis pela gestão pesqueira, e em concertação internacional, de forma a garantir os objetivos de sustentabilidade socioambiental”, refere Filipe Costa, que é investigador do Centro de Biologia Molecular e Ambiental (CBMA) e professor do Departamento de Biologia da Escola de Ciências da UMinho, em Braga. O projeto monitoriza ovos e larvas de peixe (ictioplâncton) no Atlântico, [...]

ONU reconhece projeto da Universidade do Minho para a Década do Oceano2022-11-10T18:38:11+00:00

Conferência Internacional sobre Incêndios Florestais reúne em Coimbra peritos de todo o mundo

2022-11-09T13:38:28+00:00

Mais de três centenas de investigadores e técnicos operacionais de todo o mundo vão participar na IX Conferência Internacional sobre Incêndios Florestais que vai ter lugar, em Coimbra, entre os dias 11 e 18 de novembro. Organizada pelo Centro de Estudos sobre Incêndios Florestais (CEIF) da Associação para o Desenvolvimento da Aerodinâmica Industrial (ADAI), da Faculdade de Ciências e Tecnologia da Universidade de Coimbra (FCTUC), esta edição da Conferência vai focar-se nos principais temas relacionados com a gestão dos incêndios florestais, na perspetiva da investigação científica, nomeadamente a gestão do risco, a redução e a adaptação ao risco, o comportamento do fogo e a segurança, os incêndios na interface urbano florestal e os sistemas de apoio à decisão. A Conferência é estruturada por uma Comissão Organizadora, presidida por Domingos Xavier Viegas, professor catedrático da FCTUC, e co-presidida pelo Mestre Luís Mário Ribeiro. O Coordenador salienta que «será prestada uma atenção [...]

Conferência Internacional sobre Incêndios Florestais reúne em Coimbra peritos de todo o mundo2022-11-09T13:38:28+00:00

Centro de Estudos Sociais participa em investigação que visa a transformação sustentável do fabrico de biossensores

2022-11-09T10:09:43+00:00

O Centro de Estudos Sociais (CES) da Universidade de Coimbra (UC) integra o novo projeto de investigação ‘BIOASSEMBLER - Integrando a montagem bio-inspirada na tecnologia de fabrico de semicondutores para biossensores’, que procura promover a integração das Ciências Sociais e Humanidade no desenvolvimento de tecnologias inovadoras no fabrico de microssensores e na transformação sustentável deste sector. Ao integrar esta pesquisa financiado pela União Europeia (UE), o CES-UC irá liderar a avaliação social e económica destas inovações tecnológicas e o desenvolvimento de estratégias inovadoras para uma ligação entre a ciência e a sociedade, contribuindo para o avanço de políticas científicas e para uma sociedade mais informada. Os sensores microelectromecânicos são hoje componentes essenciais em todos os sectores da vida, tais como os transportes, as telecomunicações e a eletrónica de consumo. São produzidos por tecnologia de sistemas microelectromecânicos (MEMS) na superfície de pastilhas de silicone (discos redondos finos com um diâmetro de [...]

Centro de Estudos Sociais participa em investigação que visa a transformação sustentável do fabrico de biossensores2022-11-09T10:09:43+00:00

Cientistas da Universidade de Coimbra participam em projeto para a criação de um repositório digital de coleções de esqueletos humanos

2022-11-07T12:39:48+00:00

Uma equipa do Laboratório de Antropologia Forense da Faculdade de Ciências e Tecnologia da Universidade de Coimbra (FCTUC) participou no projeto internacional Bakeng se Afrika, que teve como principal objetivo desenvolver um repositório digital de remanescentes ósseos humanos. Financiado pelo Programa Erasmus+ da União Europeia, este projeto, que teve inicio em 2019 e concluído agora, reuniu seis instituições de ensino superior (Universidade de Pretória, Universidade de Ciências da Saúde Sefako Makgatho; Universidade Stellenbosch, Universidade de Coimbra, Universidade de Bordéus, Katholieke Universiteit Leuven) e a South African Nuclear Energy Corporation (Necsa). O Bakeng se Afrika, explica Maria Teresa Ferreira, investigadora e docente da FCTUC, foi «impulsionado pela necessidade crescente de ferramentas online nas áreas das ciências da saúde e da vida. O projeto teve como objetivo estabelecer um repositório digital de coleções osteológicas sul-africanas identificadas, estabelecer procedimentos padronizados para aquisição de imagens, armazenamento e análise, e refletir e debater sobre as [...]

Cientistas da Universidade de Coimbra participam em projeto para a criação de um repositório digital de coleções de esqueletos humanos2022-11-07T12:39:48+00:00

Investigadores portugueses traçam recomendações para treino de equilíbrio no futebol

2022-11-04T16:22:33+00:00

Uma equipa internacional de investigadores da Universidade da Madeira e da Universidade de Lisboa levou a cabo um estudo com o objetivo de melhorar a performance de jovens futebolistas. O projeto foca-se em jovens entre os 13 e os 16 anos, e encontrou uma relação entre o equilíbrio, a composição corporal e a aptidão física. “Identificamos uma lacuna no estudo da performance de equilíbrio em jovens futebolistas, uma capacidade determinante para o aperfeiçoamento de técnicas como o drible, o passe e o posicionamento entre oponentes”, conta Cíntia França, investigadora do Instituto de Tecnologias Interativas do Instituto Superior Técnico. Os investigadores encontraram relações fortes entre a capacidade de equilíbrio dos jovens atletas e da percentagem de massa gorda: quanto maior essa percentagem, pior é o desempenho dos atletas em tarefas de equilíbrio. Por outro lado, o treino da força e a flexibilidade dos atletas, contribuem positivamente para uma maior performance de [...]

Investigadores portugueses traçam recomendações para treino de equilíbrio no futebol2022-11-04T16:22:33+00:00

O ESO captura o fantasma de uma estrela giganteUma teia de aranha fantasmagórica, dragões mágicos ou finos traços de fantasmas? O que é que estamos a ver nesta imagem do remanescente da supernova da Vela? Esta bela tapeçaria de cores, que foi capturada com grande detalhe pelo VLT Survey Telescope, instalado no Observatório do Paranal do Observatório Europeu do Sul (ESO), no Chile, mostra os restos fantasmagóricos de uma estrela gigantesca. Esta fina estrutura de nuvens rosa e laranja é tudo o que resta de uma estrela massiva que terminou a sua vida numa enorme explosão há cerca de 11 mil anos atrás. Quando as estrelas mais massivas chegam ao fim das suas vidas, geralmente explodem violentamente num evento chamado supernova. Estas explosões provocam ondas de choque que se deslocam pelo gás circundante, comprimindo-o e criando intricadas estruturas filamentares. A energia libertada aquece os tentáculos gasosos, fazendo-os brilhar intensamente, como podemos ver na imagem. Nesta imagem de 554 milhões de pixels, temos uma vista extremamente detalhada do remanescente da supernova da Vela, assim designada pela sua localização na constelação austral da Vela. Caberiam nove luas cheias nesta imagem e a nuvem completa é ainda maior. Situado a apenas 800 anos-luz de distância da Terra, este remanescente de supernova é um dos mais próximos que conhecemos. Quando explodiu, as camadas mais exteriores da estrela progenitora foram ejetadas no gás circundante, dando origem a estes filamentos. O que resta da estrela é apenas uma bola ultra densa onde protões e electrões são forçados a juntar-se em neutrões — uma estrela de neutrões. A estrela de neutrões do remanescente da Vela, que se encontra ligeiramente fora da imagem no canto superior esquerdo, é uma pulsar que roda sobre o seu próprio eixo à incrível velocidade de mais de 10 vezes por segundo. Esta imagem trata-se de um mosaico de observações obtidas com a câmara de grande campo OmegaCAM, montada no VLT Survey Telescope (VST), no Observatório do Paranal do ESO, no Chile. A câmara de 268 milhões de pixels pode obter imagens através de vários filtros que deixam passar luz de diferentes cores. Nesta imagem particular do remanescente da Vela foram usados quatro filtros diferentes, aqui representados por uma combinação de magenta, azul, verde e vermelho. O VST pertence ao Instituto Nacional de Astrofísica italiano, INAF, e com o seu espelho de 2,6 metros é um dos maiores telescópios dedicados ao rastreio do céu noturno no visível. Esta imagem é um exemplo de um tal rastreio: o VPHAS+ (VST Photometric Hα Survey of the Southern Galactic Plane and Bulge). Durante cerca de sete anos, este rastreio mapeou uma área considerável da nossa Galáxia, permitindo aos astrónomos compreender melhor como é que as estrelas se formam, evoluem e eventualmente morrem. Observatório Europeu do Sul (ESO)

2022-11-04T16:01:22+00:00

Uma teia de aranha fantasmagórica, dragões mágicos ou finos traços de fantasmas? O que é que estamos a ver nesta imagem do remanescente da supernova da Vela? Esta bela tapeçaria de cores, que foi capturada com grande detalhe pelo VLT Survey Telescope, instalado no Observatório do Paranal do Observatório Europeu do Sul (ESO), no Chile, mostra os restos fantasmagóricos de uma estrela gigantesca. Esta fina estrutura de nuvens rosa e laranja é tudo o que resta de uma estrela massiva que terminou a sua vida numa enorme explosão há cerca de 11 mil anos atrás. Quando as estrelas mais massivas chegam ao fim das suas vidas, geralmente explodem violentamente num evento chamado supernova. Estas explosões provocam ondas de choque que se deslocam pelo gás circundante, comprimindo-o e criando intricadas estruturas filamentares. A energia libertada aquece os tentáculos gasosos, fazendo-os brilhar intensamente, como podemos ver na imagem. Nesta imagem de 554 [...]

O ESO captura o fantasma de uma estrela giganteUma teia de aranha fantasmagórica, dragões mágicos ou finos traços de fantasmas? O que é que estamos a ver nesta imagem do remanescente da supernova da Vela? Esta bela tapeçaria de cores, que foi capturada com grande detalhe pelo VLT Survey Telescope, instalado no Observatório do Paranal do Observatório Europeu do Sul (ESO), no Chile, mostra os restos fantasmagóricos de uma estrela gigantesca. Esta fina estrutura de nuvens rosa e laranja é tudo o que resta de uma estrela massiva que terminou a sua vida numa enorme explosão há cerca de 11 mil anos atrás. Quando as estrelas mais massivas chegam ao fim das suas vidas, geralmente explodem violentamente num evento chamado supernova. Estas explosões provocam ondas de choque que se deslocam pelo gás circundante, comprimindo-o e criando intricadas estruturas filamentares. A energia libertada aquece os tentáculos gasosos, fazendo-os brilhar intensamente, como podemos ver na imagem. Nesta imagem de 554 milhões de pixels, temos uma vista extremamente detalhada do remanescente da supernova da Vela, assim designada pela sua localização na constelação austral da Vela. Caberiam nove luas cheias nesta imagem e a nuvem completa é ainda maior. Situado a apenas 800 anos-luz de distância da Terra, este remanescente de supernova é um dos mais próximos que conhecemos. Quando explodiu, as camadas mais exteriores da estrela progenitora foram ejetadas no gás circundante, dando origem a estes filamentos. O que resta da estrela é apenas uma bola ultra densa onde protões e electrões são forçados a juntar-se em neutrões — uma estrela de neutrões. A estrela de neutrões do remanescente da Vela, que se encontra ligeiramente fora da imagem no canto superior esquerdo, é uma pulsar que roda sobre o seu próprio eixo à incrível velocidade de mais de 10 vezes por segundo. Esta imagem trata-se de um mosaico de observações obtidas com a câmara de grande campo OmegaCAM, montada no VLT Survey Telescope (VST), no Observatório do Paranal do ESO, no Chile. A câmara de 268 milhões de pixels pode obter imagens através de vários filtros que deixam passar luz de diferentes cores. Nesta imagem particular do remanescente da Vela foram usados quatro filtros diferentes, aqui representados por uma combinação de magenta, azul, verde e vermelho. O VST pertence ao Instituto Nacional de Astrofísica italiano, INAF, e com o seu espelho de 2,6 metros é um dos maiores telescópios dedicados ao rastreio do céu noturno no visível. Esta imagem é um exemplo de um tal rastreio: o VPHAS+ (VST Photometric Hα Survey of the Southern Galactic Plane and Bulge). Durante cerca de sete anos, este rastreio mapeou uma área considerável da nossa Galáxia, permitindo aos astrónomos compreender melhor como é que as estrelas se formam, evoluem e eventualmente morrem. Observatório Europeu do Sul (ESO)2022-11-04T16:01:22+00:00
Go to Top