“Não existe democracia sem liberdade de expressão”, afirmou Berit Reiss-Andersen, quando agora anunciou que os dois distinguidos com o Nobel da Paz 2021 são os jornalistas e ativistas Maria Ressa, das Filipinas, e Dmitry Muratov, da Rússia – dois países onde este direito democrático não é uma garantia.

A Associação Portuguesa de Imprensa recorda que foi com muita honra que recebeu Maria Ressa no 70º Congresso Mundial da WAN-IFRA, no Estoril, co-organizado por esta Associação, e onde a jornalista das Filipinas ganhou o prémio Golden Pen of Freedom.

Na ocasião Ressa disse: “O meu coração parte-se quando olho para o que os nossos jovens repórteres têm de viver – e a coragem que demonstram diante da força bruta e da impunidade… o respeito que continuam a mostrar às autoridades, os pesadelos com os quais lutam à noite, a missão que vive dentro eles”.