CONSEQUÊNCIAS DA PANDEMIA DE COVID-19

Publicada há 3 semanas atrás (Quinta-feira, 12 de Março de 2020)

Perante a situação grave que o Mundo está a enfrentar neste momento, provocada pela pandemia de Covid-19, a Associação Portuguesa de Imprensa está a tomar diversas iniciativas com vista a defender os interesses dos seus Associados e minimizar as consequências desta crise global. Assim:
1) Solicitámos já uma audiência ao Sr. Ministro da Economia, com carácter de urgência, para lhe dar contas das principais preocupações do sector face a esta crise, bem como solicitar medidas que atenuem os efeitos negativos da situação.
2) Estamos a promover contactos internacionais, nomeadamente em Bruxelas, com vista a conseguir a tomada de medidas conjuntas para o sector da Imprensa por parte da União Europeia.
3) Estamos a acompanhar de perto, e de forma directa, a situação de Itália (o País da Europa mais afectado pela crise), para identificar os principais problemas que ali estão a afectar o sector e as soluções que estão a ser adoptadas. Pretendemos, assim, antecipar eventuais efeitos da pandemia na Imprensa em Portugal, bem como a melhor forma de os combater, se tal se mostrar necessário.
4) Para além da divulgação das medidas do Governo de Portugal (que ontem enviámos a todos os Associados), continuamos muito atentos à evolução da crise no nosso País, e iremos informando os nossos Associados de tudo o que nos pareça ser do seu interesse.
5) Mas a nossa atenção manter-se-á também constante na análise dos efeitos da pandemia no sector da Imprensa a nível internacional. É nesse âmbito que remetemos, em anexo, uma síntese das mais recentes informações veiculadas pela WAN-IFRA (a Associação Mundial de Jornais e de Editores de Notícias, em que a API está filiada).
Tal como tem sido referido pelas entidades oficiais, a presente pandemia deve ser encarada com natural preocupação e adoptando os cuidados que se impõem, mas sem alarmismos.
Estaremos sempre à disposição dos Associados para o esclarecimento de eventuais dúvidas.

Com cordiais cumprimentos,
João Palmeiro
(Presidente)